Skip to content

Trabalho em equipa

06/07/2012
tags:

A questão Amor/Ódio Cardozo há de ser a questão mais fracturante e idiota que eu consigo assistir no universo Encarnado.

E como eu sou um bocadinho maria vai com as outras, também gosto de molhar o bico neste assunto e tentar mudar alguma mentalidade, ou pelo menos entender parte do ódio.

Factos:

  •  Em 4 épocas a jogar de encarnado foi o melhor marcador da liga
  • Melhor marcador estrangeiro de sempre do Benfica
  • Garantia de 25 golos por época
  • Velocidade média por jogo – baixa
  • Cara de choro/meiomundoestácontramimcoitadinhodemim
  • Falha golos

Pegando no mais fácil, os golos falhados. Toda a gente falha golos, toda a gente erra. Só não erra quem mente ou quem não faz absolutamente nada. Estes nunca erram. Já ele falha mas a realidade é que está lá, apareceu no sítio certo, sabe onde se posicionar para tentar marcar. E há muito poucos a saberem como se movimentar bem na área. Pelo menos para os nossos bolsos.

Sabendo bem da realidade e da (im)possível comparação com colossos europeus, eu prefiro um Cardoso aqui do que dois De Jong noutra equipa qualquer. Este é nosso e já conhece os cantos à casa.

A cara dele não ajuda, mas a realidade é que eu não conheço ninguém que fique triste (ou com uma expressão parecida à dele) sempre que a redondinha passa a linha (especialmente a velocidades capazes de corar qualquer radar de velocidade).

O facto mais importante para mim é a crítica sobre a pouca/fraca velocidade e abertura de espaços e criação de oportunidades. E isso, para mim explica-se de um modo relativamente simples. Ou a equipa (conjunto de 11 jogadores em campo) joga para um dos elementos e este tem a tarefa de marcar, ou então a equipa tem um conjunto de jogadores que se desmarcam sucessivamente e aparece em frente à baliza adversária em condições de finalizar (selecção espanholo ou equipa de barcelona).

E aqui reside o busílis da questão, se a equipa transporta a bola e serve o Ponta de Lança, e aí ele é o maior, ou então a equipa fica quieta lá atrás e aí é preciso um Ronaldo fenómeno para lavrar o terreno até à área adversária, ou, para finalizar, joga num estilo barcelona onde os avançados são coisa pouco precisa.

Assim, a essência da crítica barata a um dos grande goleadores de sempre que passou pelo Benfica resume-se a gostar ou não do jogo da equipa.

E como eu gosto sempre do Benfica, o que eu quero é bom futebol e vitórias.

Se alguém pagar bem por ele, o dinheiro também é benvindo, mas eu prefiro ter cá jogadores que conhecem a casa do que períodos de adaptação. Especialmente se depois envolver salários altos e mais um contentor de estrangeiros melões.

E com isto prometo que não falo mais disto. Arranjem-me é laterais decentes para eu ficar sossegado e ponham-me os joguinhos todos do Benfica (A e B) (essencialmente os fora de casa) a passar na televisão que eu tenho é fome de bola…

 

No comments yet

Comenta aqui

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s

%d bloggers like this: